Figuras de Linguagem
 As figuras de linguagem ou de estilo são recursos que se aplicam nos mais diversos gêneros textuais para conseguir um efeito determinado na interpretação do leitor, tornando a mensagem mais expressiva. São muito empregadas no dia a dia das pessoas, nas canções e também constituem um importante recurso literário. Tais recursos podem relacionar-se com os aspectos semânticos, fonológicos ou sintáticos das palavras.

Veja algumas das principais figuras de estilo:

1. Figuras de palavra:

 

METÁFORA: Considerada a mãe de todas as figuras, significa transposição. Consiste no uso de uma palavra ou expressão em outro sentido que não o próprio, fundamentando-se na íntima relação de semelhança entre coisas e fatos. A metáfora é sempre uma imagem, isto é, representação mental de uma realidade sensível. É uma espécie de comparação latente ou abreviada.

Por exemplo: Paulo é um touro.

CATACRESE: Espécie de metáfora já desgastada, é o desvio da significação de uma palavra por outra, ante a inexistência de vocábulo apropriado. Origina-se da semelhança formal entre dois objetos, dois seres.

Por exemplo: Dente de alho, pernas da mesa, braço da cadeira…

COMPARAÇÃO: Consiste em comparar dois termos, por meio de elementos comparativos, constituindo-se em intermediário entre o sentido próprio e o figurado.

Por exemplo: Paulo é forte como um touro.

METONÍMIA: Significa mudança de nome. Consiste na troca de um nome por outro com o qual esteja em íntima relação por uma circunstância, de modo que um implique o outro. Há metonímia quando se emprega:

* o efeito pela causa = Sócrates tomou a morte (= o veneno).

* a causa pelo efeito = Vivo do meu trabalho (= do produto de meu trabalho).

* o autor pela obra = Eu li Lêdo Ivo (= a obra de Lêdo Ivo).

* o continente pelo conteúdo = Traga-me um copo d’água (= a água do copo).

* a marca pelo produto = Comprei um Honda Civic (= carro).

* o conteúdo pelo continente = As ondas fustigavam a areia (= a praia).

* o instrumento pela pessoa = Ele é um bom garfo (= comilão).

* o sinal pela coisa significada = A cruz dominará o Oriente (= Cristianismo).

* o lugar pelo produto = Ele só fuma Havana (= cigarro da cidade de Havana).

SINÉDOQUE = Espécie de variação da metonímia, consiste em alcançar ou restringir a significação própria de uma palavra. É o emprego do mais pelo menos ou vice-versa, isto é, a troca de um nome pelo outro de modo que um contenha o outro.

* a parte pelo todo = No horizonte surgia uma vela (= um navio).

* o todo pela parte = O mundo é egoísta (= os homens).

* o singular pelo plural = O homem é mortal (= os homens).

* a espécie pelo gênero = Ganhei o pão com o suor do rosto (= alimento).

* o indivíduo pela classe = Ele é um Atenas (= cidade culta).

* a espécie pelo indivíduo = No entender do Apóstolo… (São Paulo).

* a matéria pelo instrumento = Ela possui lindos bronzes (= objetos).

* o abstrato pelo concreto = A audácia vencerá (= os audaciosos).

ANTONOMÁSIA: Outra espécie de variação metonímica, consiste na substituição de um nome próprio por um nome comum, por uma apelido ou por um título que tornou a pessoa conhecida. Por exemplo: O Mártir da Inconfidência (para Tiradentes).

PERÍFRASE: Rodeio de palavras, circunlóquio (também, de certo modo, pertencente ao campo da metonímia).

Por exemplo: A mais antiga das profissões (a prostituição).

SINESTESIA: Figura que se baseia na soma de sensações percebidas por diferentes órgãos dos sentidos.

Por exemplo: A ondulação sonora e tátil entrava pelos meus ouvidos.

2. Figuras de harmonia (som):

 

ONOMATOPEIA: Consiste no uso de palavras que imitam o som ou a voz natural dos seres. Graças a seu valor descritivo, é também excelente subsídio da linguagem afetiva.

Por exemplo: Os sinos bimbalhavam ruidosamente.

ALITERAÇÃO: É a repetição de sons consonantais iguais ou semelhantes.

Por exemplo: E as cantilenas de serenos sons amenos fogem fluidas, fluindo à fina flor dos fenos (Eugênio de Castro).

ASSONÂNCIA: É a repetição de sons vocálicos iguais ou semelhantes.

Por exemplo: Até amanhã, sou Ana da cama, da cana, fulana, sacana (Chico Buarque de Holanda).

PARANOMÁSIA: É o encontro de duas palavras muito semelhantes quanto à forma.

Por exemplo: Ser capaz, como um rio, (…) de lavar do límpido a mágoa da mancha (Thiago de Mello).

3. Figuras de pensamento:

 

RETICÊNCIA: Consiste na proposital suspensão do pensamento, quando se julga o silêncio mais expressivo que as palavras.

Por exemplo: Nós dois … e, entre nós dois, implacável e forte.

PLEONASMO: Consiste na repetição de uma mesma ideia por meio de vocábulos ou expressões diferentes.

Por exemplo: Resta-me a mim somente uma esperança.

ANTÍTESE: Consiste na exposição de uma ideia através de conceitos ou pensamentos opostos, quer fazendo confrontos, quer associando-os.

Por exemplo: Buscas a vida, e eu a morte; procuras a luz, e eu as trevas.

IRONIA: Consiste no uso de uma expressão, pela qual se diz o contrário do que se pensa com intenção sarcástica e entonação apropriada.

Por exemplo: A excelente D. Celeste era mestra na arte de judiar dos alunos.

EUFEMISMO: Consiste no uso de uma expressão em sentido figurado para suavizar, atenuar uma expressão rude ou desagradável.

Por exemplo: Ficou rico por meios ilícitos (= roubou).

HIPÉRBOLE: Consiste em exagerar a realidade, a fim de impressionar o espírito de quem ouve.

Por exemplo: Ele se afogava num dilúvio de cartas.

PROSOPOPEIA: Consiste na personificação de coisas e evocação de deuses ou de mortos.

Por exemplo: As estrelas disseram-me: aqui estamos.

PARADOXO: Expressão fortemente contraditória.

Por exemplo: Ia divina, num simples vestido roxo, que a vestia como se a despisse (Raul Pompéia).

4. Figuras de construção ou de sintaxe:

 

ELIPSE: É a omissão de um termo da frase facilmente subentendido.

Por exemplo: “Na terra tanta guerra, tanto engano, tanta necessidade aborrecida, no mar tanta tormenta e tanto engano” (Camões). Os casos mais comuns são de verbos (ser e haver), a conjunção integrante (que), a preposição (de) das orações subordinadas substantivas indiretas e completivas nominais, sujeito oculto.

ZEUGMA: Espécie de elipse, é a omissão de um termo já expresso anteriormente na frase.

Por exemplo: Nem ele entende a nós, nem nós a ele.

GRADAÇÃO: É a disposição das ideias numa ordem gradativa.

Por exemplo: Homens simples, fortes, bravos… hoje míseros escravos sem ar, sem luz, sem razão… (Castro Alves).

SILEPSE: Concordância ideológica. A concordância não é feita com o elemento gramatical expresso, mas sim com a ideia, com o sentido real. A silepse pode ser:

* de gênero = Vossa Majestade mostrou-se generoso. (V. Majestade = feminino e generoso = masculino);

* de número = O povo lhe pediram que ficasse. (o povo = singular e pediram = plural);

* de pessoa = Os brasileiros somos nós. (os brasileiros = 3ª pessoa e somos = 1ª pessoa).

ASSÍNDETO: É a ausência de conectivos numa sequência de frases.

Por exemplo: Destrançou os cabelos, soltou-os, trançou-os de novo (Pedro Rabelo).

POLISSÍNDETO: É a repetição de uma conjunção.

Por exemplo: E rola, e rebola, como uma bola.

HIPÉRBATO: Consiste em uma inversão dos termos da frase, uma alteração na ordem direta.

Por exemplo: Já da morte o palor me cobre o rosto (Álvares de Azevedo).

ANÁFORA: É a repetição de um termo no início das frases ou versos.

Por exemplo: Tem mais sombra no encontro que na espera. Tem mais samba a maldade que a ferida (Chico Buarque de Holanda).

APÓSTROFE: É uma invocação (vocativo na análise sintática), um chamado emotivo.

Por exemplo: Deuses impassíveis… Por que é que nos criastes? (Antero de Quental).

ANACOLUTO: consiste na interrupção do esquema sintático inicial da frase, que termina por outro esquema sintático. Por exemplo: Este, o rei que têm não foi nascido príncipe(Camões).

Veja, como aprofundamento, um trabalho produzido por alunos da UNIP (Jundiaí- SP), a pedido da professora Sílvia Zampar. Trata-se de uma série de análises acerca das figuras de linguagem presentes em diversas peças publicitárias. Basta clicar no link abaixo:

Figuras de Linguagem

2 thoughts on “Figuras de Linguagem

  1. Bruno disse:

    Parabéns ótima explicação

  2. iris disse:

    OI, AMEI ESSAS EXPLICAÇÕES. PARABÉNS!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Garanta sua vaga!

Insira abaixo suas informaçães para efetuar o pré-cadastro neste curso.

 
Desafio Linguístico
Newsletter
Cadastre-se e receba novidades em seu e-mail.
82 8816.3133 | 82 9912.0630
made in zeropixel