Equilíbrio emocional


Pesquisas indicam que a Inteligência Emocional é responsável por cerca de 80% das competências que distinguem indivíduos espetaculares dos medianos.

(Daniel Goleman, Richard Boyatzis e Anne McKee – Livro: o poder da inteligência emocional)

O século XX ficou conhecido como a era da desmistificação da inteligência. O psicólogo cognitivo e professor Howard Gardner, conhecido especialmente por sua teoria das inteligências múltiplas, descobriu e classificou a inteligência em sete dimensões: 1) inteligência visual ou espacial, 2) musical, 3) verbal, 4) lógica ou matemática, 5) interpessoal, 6) intrapessoal e 7) inteligência corporal ou cinestética. Posteriormente, o jornalista e psicólogo Daniel Goleman descobriu em seus estudos que pessoas inteligentes nem sempre obtinham êxitos, pois a inteligência emocional em desequilíbrio se posicionava de forma opositora ao sucesso.

Nesse sentido, fica claro que gerenciar as emoções é o segredo para se obter destaque entre os indivíduos medianos. As pessoas emocionalmente equilibradas são pró-ativas, de expressões firmes, opniões convictas e bem educadas. Ser emocionalmente equilibrado é entender sobretudo que, para cada pensamento, uma reação interna é ativada (batimentos cardíacos acelerados, sudoreses, aumento da temperatura corporal etc). Assim, é importante perceber de forma muito peculiar como cada organismo reage diante desses sintomas e construir uma representação interna das reais intenções do indivíduo.

Essa percepção de si mesmo resultará em atitudes inteligentes e funcionais. Do contrário, quando o indivíduo ignora suas emoções, facilmente não se apercebe diante desses estados interiores e age de forma automática, muitas vezes iatrogênica, induzida por estímulos emocionais que resultarão em respostas emocionais impulsivas e pouco inteligentes.

Indivíduos como Martin Luther King, Wiilliam Wallace, São Francisco de Assis, Mahatma Gandhi, são verdadeiros exemplos de equilíbrio emocional. Pesquisas revelam que eram mestres do controle emocional, e todos apresentavam lobo frontal muito bem desenvolvido. Obtinham elevado foco nas suas intenções: princípios de liberdade, não-violência, honra e amor. Nunca se afastaram desse ideal, independentemente das dificuldades que enfrentavam.

Martin Luther King foi pastor protestante e ativista político estadunidense. Enquanto lutava contra o preconceito e a desigualdade racial,  muitas ameaças foram feitas contra a sua vida; foi criticado, preso, viu sua casa ser atacada. O que para muitos poderia ser motivo para revolta e rebelião, troca de tiros, respostas à agressividade, para ele era razão de intensificar sua luta pela concórdia. Autor da famosa frase “I have a dream” (Eu tenho um sonho), Luther King foi a pessoa mais jovem a receber o Prêmio Nobel da Paz, em 1964, pouco antes de seu assassinato.
Da mesma forma, Giovanni di Pietro di Bernardone, conhecido como São Francisco de Assis, frade católico da Itália, dedicou-se à vida religiosa e de completa pobreza. Contrariando o modelo de pregação de alguns religiosos de sua época, voltados aos mosteiros rurais em que se seguiam a risca as leis pregadas por Cristo, esse frade se apegou à humanidade do Salvador e, dessa forma, alcançou com mais facilidade a identificação de seus semelhantes. Francisco, por meio de uma brava luta interior, revelou-se um modelo de equilíbrio emocional.

Embora fosse possível citar alguns outros exemplos como esses, vale ressaltar que, na contemporaneidade, há uma carência social gritante de indivíduos emocionalmente equilibrados. Aperfeiçoar o desenvolvimento do Quociente Emocional (Q.E.) é o exercício que fará a difrença entre a sorte e o Quociente de Inteligência (Q.I.), seja no competitivo mercado de trabalho, no bom desempenho em uma prova, ou em um relacionamento bem sucedido. Trabalhar o equilíbrio emocional é, pois, fundamental para se obter o sucesso. Não basta desenvolver  múltiplas inteligências, é preciso dosar na medida exata – preparar-se emocionalmente é o primeiro passo.

evening@edusampaio.com

 

One thought on “Equilíbrio emocional

  1. Rosangela disse:

    Boa noite.
    Gostei muito do Equilíbrio Emocional. Tenho me esforçado muito, pois sou muito insegura, e não penso duas vezes, quando me atacam.
    Sofro com isso, pois me chamam de maluca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Evening Lopes
    Psicóloga clínica de linha cognitivo-comportamental e terapeuta sexual (pós-graduanda em Neuropsicologia e em Dependência química).
Mais de "Psicologia e Linguagem"
Veja como técnicas psicoterapêuticas podem ajudar a aplacar a ansiedade na hora das provas de concursos públicos e vestibulares.
É viável para a sociedade a internação involuntária de dependentes químicos?
Veja como a violência emocional se revela, muitas vezes, mais preocupante que a própria violência física.
A psicóloga Evening Lopes aponta o processo terapêutico para casais como uma forma de amadurecimento afetivo.
Tema dos mais atuais no Brasil e no mundo, o bulling é algo que precisa ser combatido e exterminado do seio social.
A inteligência emocional revela-se cada dia mais importante para quem quer obter sucesso nas esferas afetiva, social ou profissional.
 
Desafio Linguístico
Newsletter
Cadastre-se e receba novidades em seu e-mail.
82 8816.3133 | 82 9912.0630
made in zeropixel